Sacanearam a presidenta Dilma

Sacanearam a presidenta Dilma

Sacanearam a presidenta Dilma

Nenhum comentário em Sacanearam a presidenta Dilma
0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 0 Flares ×

São pouquíssimos os cenários em que me sinto sem esperança; desencantado! Não sei dizer se estou a viver “A Metamorfose”, de Kafka, ou se houve uma súbita cegueira coletiva, como alertou Saramago. Mas, o que fizeram com a presidenta Dilma, ontem, foi uma tremenda SACANAGEM!

E isso não faz de mim um caudatário do governo, tampouco do Partido dos Trabalhadores. Não sou filiado a nenhum partido! Aliás, tenho várias críticas ao governo Dilma (a começar pelo conluio com o PMDB na época da eleição…).

Mas, se você é um desses mentecaptos que não consegue fazer essa distinção (portanto, um analfabeto funcional), por favor, PARE de ler aqui.

Agora.

Neste exato momento.

Ficarei feliz em saber que não sou lido por um asno em forma de ser humano.

OK. Se você continua por aqui, é sinal de que tem pelo menos um número razoável de neurônios em bom funcionamento.

A grande bandeira dos que se manifestaram contrários à presidenta Dilma foi a problemática da corrupção. Acreditam, erroneamente, de que retirá-la do Executivo fará com que a corrupção se acabe. E tiveram alguns parvos que me disseram que depois tirariam o restante dos parlamentares… até o país ficar totalmente limpo!

É risível e triste a ingenuidade da turba! Mas não se dá de maneira casual. Isso é um reflexo do mascaramento da realidade social; expressa-se na “ideia de tornar-se estranho a si mesmo, não reconhecer-se em suas obras, desprender-se, distanciar-se, perder o controle”, noutro termo, nada mais é do que alienação. Esta, aliás, muito bem forjada por Washington e sua “longa manus”, a Rede Globo, que tanto mal fez e continua a fazer para este imenso país.

“Enfrentar a corrupção exige controle público, transparência das ações dos governantes e um processo de formação – no sentido do aprendizado – de uma cultura republicana que seja exercida cotidianamente pelo brasileiro comum em sua relação com o país. Precisamos praticar em nosso cotidiano a definição do que é público e a linguagem pública dos direitos, e isso quer dizer garantir o respeito ao outro – a qualquer outro” .

Entretanto, vivemos no país do “jeitinho”; no mundo do “você sabe com quem está falando” e tantas outras heranças do escravismo. Os mesmíssimos que xingaram a presidenta e comemoraram o seu afastamento são corruptos e hipócritas! São daquelas pessoas que se recebem o troco a mais no comércio não devolvem e ainda falam que o comerciante é um otário; são aquelas pessoas que forjam exames médicos e outras falcatruas para declararem no IRPF e terem uma restituição maior; são aquelas que se penduram no saco musculocutâneo (vulgarmente chamado escroto) de algum político ou líder religioso para conquistarem o seu lugar ao sol (sem concurso público) e mamar na teta do Estado (Na Hora, ministérios, OnGs…); são os mesmos que jogam os seus dejetos do veículo em movimento e falam que não têm a obrigação de carregarem lixo no carro e que, graças a eles, os garis têm emprego; são os mesmos que reclamam contra os direitos trabalhistas arduamente conquistados pelas empregadas domésticas e dão um “jeitinho” com elas para que não paguem certos impostos; são os caras que imprimem apostilas e livros das faculdades dos filhinhos na repartição pública, com a impressora pública; com as folhas da repartição…; são os mesmos que fazem falcatruas, mesmo tendo condições de pagar, para conseguirem PROUNI para o curso de Medicina de seus filhinhos; são, enfim, uma turba emburrecida que só pensa nos próprios interesses e que se foda o restante da população.

Chaui estabelece que a sociedade brasileira se caracteriza pelas “(…) diferenças e assimetrias sociais e pessoais [que] são imediatamente transformadas em desigualdades, e estas, em relações de hierarquia, mando e obediência (…). Os indivíduos se distribuem imediatamente em superiores e inferiores, ainda que alguém superior numa relação possa tornar-se inferior em outra, dependendo dos códigos de hierarquização que regem as relações sociais e pessoais. Todas as relações tomam a forma de dependência, da tutela, da concessão, da autoridade e do favor, fazendo da violência simbólica a regra da vida social e cultural. Violência tanto maior porque invisível sob o paternalismo e o clientelismo, considerados naturais e, por vezes, exaltados como qualidades positivas do ‘caráter nacional’.”

Em suma, temos setores do Executivo corruptos; temos uma grande parcela do Legislativo espúria, que evoca “Deus, a família…” para dizer o “Sim” a instauração do processo de impedimento, enquanto a massa burra grita como se fosse um gol da seleção de futebol, os caras ficam vendo e ouvindo filmes pornográficos e zombam da nossa cara. As pessoas se esquecem que são esses 513 personagens que ferram com nossas vidas; por fim, temos um Judiciário parcial até a medula, contaminado! E quando a maior corte do país está nessa situação, a quem podemos recorrer?

Portanto, se você acha que a corrupção vai acabar; que os impostos vão diminuir; que você vai ascender socialmente e comprar sua mansão e seu carrinho; que você vai pra Disney e que o mundo ficará cor de rosa ou a cor que você quiser dar a esta merda, parabéns! Você é um néscio completo!

A presidenta Dilma não foi e nunca terá sido o nosso problema. Você que bateu panela, colocou a blusa da seleção e ficou assoprando vuvuzela no seu setor residencial, você terá de derrubar os outros 513 deputados e 81 senadores que, em sua maioria, responde a processos gravíssimos, mas que não é noticiado pela grande mídia, tampouco é julgado pelo STF. Vai lá derrubá-los… Se você conseguir essa proeza, eu pedirei para a Mulher Vermelha (The Red Woman) para que o Senhor da Luz lhe conceda muitas vidas e você possa viver nesse país das maravilhas…

0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 0 Flares ×

Deixe um comentário

Redes Sociais

Back to Top

0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 0 Flares ×