Fósseis são de 100 milhões de anos atrás. Cientistas acreditam que é uma nova espécie de titanossauro.

Fósseis são de 100 milhões de anos atrás. Cientistas acreditam que é uma nova espécie de titanossauro.

Fósseis são de 100 milhões de anos atrás. Cientistas acreditam que é uma nova espécie de titanossauro.

Nenhum comentário em Fósseis são de 100 milhões de anos atrás. Cientistas acreditam que é uma nova espécie de titanossauro.
0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 0 Flares ×

Da Agência Efe

Fonte: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2014/05/foto-mostra-femur-gigante-de-restos-de-dinossauro-achado-na-argentina.html
Um trabalhador rural descobriu na Argentina os restos de um dinossauro que pesou quase 100 toneladas, o que o situa como a maior espécime do mundo achada até agora, de acordo com os cálculos dos pesquisadores.

Trata-se do fêmur de um dinossauro herbívoro da família dos Saurópodes que viveu há cerca de 100 milhões de anos, achado na província argentina de Chubut (sul), perto da cidade das Plumas.

O osso “é o equivalente ao de 14 elefantes africanos, por isso que se deduz que o animal pesava pelo menos 100 toneladas”, disse o pesquisador Pablo Puerta, do museu Paleontológico “Egídio Feruglio”, em entrevista à agência oficial “Télam”.

O descobrimento, apresentado ontem perante a imprensa, foi realizado há algo mais de três meses nos quais os pesquisadores do museu estiveram trabalhando em sua recuperação.

Este é o segundo achado de um dinossauro nesta semana na Argentina, depois que o Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas (CONICET) apresentou na quinta-feira os restos de um saurópode diplodócido, que os cientistas situam como o primeiro de sua espécie achado na América do Sul e o único no mundo correspondente ao Período Cretácico.

0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 0 Flares ×

Deixe um comentário

Redes Sociais

Back to Top

0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 0 Flares ×